15 janeiro 2020

Por que sentimos tanto medo?



Medo é a palavra do século XXI. Ter medo é um sentimento natural e necessário do ser humano. Sem ele não seriamos capazes de identificar ameaças e nos proteger dos perigos. Ao mesmo tempo o medo é capaz de nos paralisar parcialmente ou por completo em muitos momentos em que precisamos tomar decisões importantes nas nossas vidas.

Por excesso de medo, nós podemos desenvolver o tão temido ataque do pânico. Podemos ter pequenas crises de ansiedade que não nos causam tanto estrago, mas nos impedem de realizar sonhos tão presentes em nossa mente.

O medo de mudar, experimentar coisas novas e comidas diferentes ou até mesmo se aventurar em viagens para locais com culturas completamente opostas à nossa pode ser algo bem desmotivador. É difícil planejar-se financeiramente para uma viagem a Tailândia se você não se sente segura em viajar para cidades próximas ao seu local de residência.


A insegurança também nos paralisa e pode causar muitos estragos em nossa vida se nós não focarmos nos nossos objetivos e não nos dedicarmos a realizar o que nos dá satisfação pessoal e profissional.

Planejar o futuro é muito importante, mas focar no presente e definir pequenas metas diárias para vencer o seu medo e a sua insegurança vão garantir pequenos momentos de felicidade que vão fazer com que você enxergue a sua vida através de um ponto de vista muito mais leve. Além de nos proporcionar um sentimento de satisfação com o simples fato de iniciar e terminar uma tarefa sem que a sua mente ansiosa fique martelando em seu cérebro frases do tipo:

“Você não tem capacidade para isso”

“Você perde muito tempo nas redes sociais, vá trabalhar sua preguiçosa”

“Você nunca fará aquela viagem tão sonhada porque não consegue aprender uma palavra de inglês.”

“Você tem que ser mais produtiva e procrastinar menos.”

“Você é medrosa e o mundo é muito perigoso, portanto não viaje sozinha. Só viaje com um homem por perto.”

Poderia escrever outras tantas frases que rondam o cérebro de um ansioso todos os dias e ainda assim faltariam algumas, porque sempre inventamos formas de nos boicotar e alimentar o nosso medo, estresse, insegurança e angústia.

Como consegui realizar pequenas mudanças na minha forma de viver a ansiedade?

Não foi e não é nada simples bloquear pensamentos ansiosos que alimentam o meu medo diário de realizar tarefas que me dão prazer. Aliás, o que me fez perceber que a minha mente preferia desenvolver pensamentos negativos em vez de cultivar pensamentos positivos foram as meditações de mindfullness e as consultas com uma psicóloga comportamental cognitiva.


Quando comecei a aprender a respirar focando nos movimentos do meu corpo e deixando os meus pensamentos circularem livremente pela minha mente, notei que a ansiedade e os pensamentos negativos automáticos estavam me impedindo de crescer profissionalmente e pessoalmente.

Eu queria emagrecer, mas só de pensar em recomeçar uma dieta para depois de alguns meses voltar a comer tudo de novo, eu me sentia fraca e tinha preguiça de fazer algo que para mim já estava fadado ao fracasso.


Eu queria ler um romance, mas eu não podia me dar ao luxo de deixar de ler livros técnicos que iriam me ajudar a conseguir um emprego melhor no futuro.
Quando morava em um país com temperaturas abaixo dos 10 graus no inverno, sempre pensava:

“Aí, quero dar uma volta na praça na minha folga para ver gente e arejar a mente, mas o pensamento negativo automático me bloqueava com imagens de situações em que sai de casa e morri de frio ou não consegui resistir a comer vários doces na padaria porque o frio da vontade comer mais.

O que acontecia? 

Minha mente martelava pensamentos negativos o dia inteiro e eu não lia nem o romance, nem o livro técnico, nem planejava a viagem. Ligava a netflix e procrastinava vendo filmes sobre vidas “perfeitas” que são tão perfeitas quanto irreais.
Focar no presente e desenvolver a sua força de vontade interior ajuda bastante a combater o medo e a insegurança de pessoas que são ansiosas e não acreditam muito em si.

Entenda que o medo é importante para a sua vida. Pare de lutar contra ele, porque esta luta não tem fim. Aceite os seus medos e trabalhe em cima deles, seja com meditação diária, yoga, exercícios de respiração ou esportes. Encontre uma forma de focar no seu presente e voe alto. Se jogue na vida. 


Corra riscos, viva! 


SE esperarmos a chuva parar para iniciarmos a nossa vida, vamos nos afogar em uma lama de angustias e medo.

Conte-me sobre seus medos nos comentários. Assim podemos compartilhar nossas inseguranças e colocar para fora aquilo que está enterrado nas nossas mentes.
Se gostou, compartilhe este texto com seus amigos que precisam de um empurrãozinho para viver a vida com mais leveza e menos medos.

Texto escrito por Carolina Estrella

Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por