30 março 2017

Capas antigas de romances de banca e a busca pelo homem perfeito


Brincadeira feita pela revista Cosmopolitan com capas de romances de banca. Entre Aqui para ver todas as fotos.


Olá, galera!

Um belo dia eu estava rolando a Timeline do meu facebook quando vi um post muito interessante da Paula Karine sobre um romance de banca de 1981 que ela estava lendo. Os modelos da capa eram magros e bem diferentes dos romances que lemos hoje em dia.

Ela comentou que a história era ótima, mas que ao terminar a leitura e olhar para a capa, ela brochou totalmente com o modelo que mais parecia o seu madruga do boteco da esquina do que outra coisa. Realmente, não dá para se “empolgar” muito com aquela imagem, porém naquela época as mulheres gostavam e hoje em dia se não tiver um modelo com barriga de tanquinho e com cara de bruto, as mulheres não compram a ideia do livro, por mais que a história seja sensacional. Se a capa for feia e sem graça, as mulheres não leem.



Só que se você parar para pensar vai ver que é muito mais fácil você encontrar um homem como os modelos das capas de antigamente como os modelos atuais. Não é todo dia que você vê um cara gostosão dando sopa por aí, muito menos com o jeito dos personagens. Aliás, encontrar um cara hétero com barriga de tanquinho é raridade, pois é mais fácil conhecer caras com barrigas salientes. Para mim, não faz diferença, por que eu gosto de homens inteligentes e bons de papo. O tipo físico não me incomoda, porém, a minha imaginação gosta de sonhar com os “príncipes encantados” e sedutores dos livros.


Eu me empolgo mais para ler livros com modelos lindos nas capas mesmo sabendo que este tipo não me atrai na vida real.

Mas, então por que faço tanta questão de consumir livros e filmes com homens  perfeitos assim se não os quero na vida real?

Esta é uma pergunta muito interessante que eu gostaria de saber a resposta, mas ainda preciso pensar muito para chegar a uma conclusão. Acho que o imaginário feminino é muito amplo e que nós nos excitamos com muitas ilusões, promessas, sonhos impossíveis e relacionamentos perfeitos. Não que isso seja ruim, até por que viver sem o sonho do “homem ideal” é bem esquisito. Tanto que os cinemas estão lotados de pessoas assistindo “ A bela e a fera” e muitas mulheres (euuuuuu!) estão saindo das salas em prantos de tão emocionadas com uma história que conhecem desde infância, mas que ainda faz muito sentido em suas vidas.



Um detalhe básico, eu só cheguei à conclusão de que não queria um “príncipe encantado” depois de bater muito a cabeça em relacionamentos porque tentava moldar os meus namorados e não conseguia.

Ora! Nos livros os mocinhos são gentis, cavalheiros, não arrotam, não peidam, então por que eu tenho que namorar uma pessoa que faz tudo isso?

Simples! Porque são pessoas normais e não frutos de nossa imaginação idealista que fica o tempo todo nos jogando ideias baseadas em histórias. Foi só quando abri mão de encontrar um cara perfeito que comecei a enxergar coisas positivas nos meus parceiros e o melhor comecei a aceitar os seus defeitos e a observar as minhas imperfeições.


É tão bom quando você consegue separar os seus sonhos do parceiro ideal e aceitar a realidade com leveza. Quem consegue fazer isso vive bem mais feliz e em paz com o companheiro.
Espero que tenham gostado da reflexão e continuem imaginando e se empolgando com os gostosões por que a gente merece um pouco de diversão. Afinal, ninguém é obrigado a ler um livro super excitante e dar de cara com o seu madruga na capa na hora do seu momento íntimo, não é?

Quem ama promoções e não perde uma tem que entrar no site CUPOM VÁLIDO e aproveitar todos os cupons dos parceiros. Eu já usei alguns e gostei bastante! 

Beijos,

Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por