08 julho 2016

Deixe os meus sentimentos em paz!




Hoje pela manhã assisti um vídeo da Youtuber Jout Jout e fiquei um bom tempo refletindo sobre as suas ideias. O vídeo falava de sentimentos de terceiros sobre as nossas decisões. Ela mencionou as opiniões de pessoas próximas sobre o fato dela e o namorado terem decidido morar juntos e isso me motivou a pensar e a escrever sobre alguns comentários de pessoas que passam por problemas parecidos.



Uma garota comentou que de tanto os pais falarem que ela não ia conseguir terminar uma faculdade durante os seus 18 anos, ela já entrou e saiu de 3 universidades e hoje convive com os sintomas da depressão e não consegue terminar nada em sua vida. O caso dela é o de muitos e também o meu. Quantas vezes eu já desisti de fazer algo porque alguém em disse que eu não ia conseguir e que era melhor ficar em casa a me expor a tanto “trabalho”? (Troque trabalho por medo, violência e etc...que terá o mesmo significado)


A grande maioria das pessoas criam expectativas baseadas em ilusões sobre a vida dos outros. Eu demorei muito para perceber que aquela expressão tão antiga e tão significativa “a grama do vizinho é sempre a melhor” atrapalhava bastante a minha vida. Será mesmo que a vida do outro é melhor que a sua? Será que só porque fulano passou na universidade X em primeiro lugar ele é bem resolvido e consequentemente será bem-sucedido no futuro?

Será que só porque fulano postou fotos em uma viagem maravilhosa quer dizer que ele é a pessoa mais feliz do mundo?

Será que só porque fulano escolheu estudar engenharia como o seu pai e você escolheu ser músico quer dizer que ele obrigatoriamente será mais bem-sucedido que você? O que é ser bem-sucedido? Ganhar dinheiro e morar em uma mansão? Ter muitos amigos e ignorar a sua família? Fazer dieta para ficar abaixo do seu peso só para se encaixar nos padrões da sociedade?

Essas reflexões são válidas e merecem muita atenção porque nós nos cobramos o tempo todo e desde pequenos somos cobrados pelos nossos pais, pelos vizinhos, pelos professores. Depois de muitos anos eu consegui refletir e ver que um dia alguém pode estar feliz e comemorar o seu sucesso com louvor, mas no outro pode acontecer algo que tire o chão dos seus pés. 

Ninguém é perfeito. E quanto menos nós cobramos os outros com sentimentos preestabelecidos sobre determinados problemas, melhor. Viva os seus sentimentos. Se permita sorrir quando terminar um namoro que não dava mais certo e não chorar só porque os outros disseram que ficar triste é o certo. Se permita falhar, se permita errar e tente por mais difícil que seja ignorar as opiniões tão cheias de julgamentos e verdades mascaradas das outras pessoas. 

Como dizia a Pitt, quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra. Todos nós erramos, mas gostamos de opinar sobre a vida do outro e sobre o que ele deve sentir. Pensando desse jeito eu me sinto até uma ditadora de sentimentos alheios. É bizarro demais, mas é a realidade. Crescemos com prejulgamentos e temos que lutar para jogar fora o que não presta e guardar o que vale a pena.
Um dos sentimentos que mais me incomodam é sobre o fato de que homem não pode chorar. Eu mesma já me espantei ao ver pessoas do sexo masculino próximas a mim chorando. Mas, depois de um tempo achei aquilo tão genuíno, tão humano. Homens chorem bastante! 

Espero ter ajudado alguém com as minhas palavras assim como a Jout me ajudou com o seu vídeo. E assim como a minha terapeuta me ajuda toda semana. Segue uma frase dela que me marcou bastante:

O caminho do sucesso do outro pode não ser o mesmo que o seu. E isso não significa que o do outro é melhor ou pior. Faça o seu próprio caminho e cuidado ao desejar o caminho do outro. 

Beijinhos,

Carol Estrella

Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por