20 janeiro 2016

Não passei na Universidade. E agora?


Eu me lembro como se fosse ontem o dia em que descobri que não passei para comunicação social na universidade pública. Fique arrasada e me senti a pior pessoa do mundo. Muitos amigos meus também não passaram, mas isso não me importou. Não passar em algo que estudei muito o ano inteiro para mim significava fracasso, derrota e tristeza profunda.

Sempre fui uma boa aluna, me dedicava nas matérias difíceis, fazia todos os trabalhos com louvor e passava horas estudando. O que aconteceu comigo? Não aceitava uma rejeição da Universidade Pública e para mim eu estava vivendo o fim do mundo. Depois de tanto esforço, receber um não é desesperador.

De fato, o mundo que eu construí durante a minha vida acadêmica caiu sobre mim e eu percebi que não sabia para onde ir. No meio do 3º no do Ensino Médio eu resolvi trocar a área de exatas para a de humanas, porque simplesmente não parava de chorar durante as aulas de matemática.
Eu adoro a natureza, mas não queria estudar a terra, não queria fazer Geologia. Ainda bem que descobri a tempo de trocar para Jornalismo, mas mesmo assim fiquei muito nervosa durante as provas e não passei de primeira. Posso ter sido chamada para reclassificações, mas nem olhei.

Fiquei arrasada por tanto tempo que nem senti o tempo passar até que meus pais me matricularam em Jornalismo na Universidade Estácio de Sá e eu aceitei cursar só por ano e estudar normalmente para tentar de novo uma Universidade pública.

Eu tinha preconceito, por  conta de anos que passei ouvindo os meus professores falarem mal das particulares e louvarem as públicas. Mesmo assim entrei na Estácio e fui em frente. Quando dei por mim estava totalmente engajada com as atividades da Universidade e o curso foi maravilhoso.
Algumas amigas minhas fizeram de novo o vestibular, entraram para a pública e enfrentaram diversas greves, outras tiveram que lidar com o desaparecimento de equipamentos audiovisuais na universidade. Eu simplesmente segui em frente e conclui o curso em apenas 3 anos. Puxei várias matérias e terminei rápido.

Eu tive uma boa educação, aprendi muito na universidade e hoje sou muito grata aos meus pais que me permitiram enfrentar meus medos e seguir meus sonhos sem preconceitos. Muitos colegas da Universidade estão trabalhando em redes de televisão famosas e outros conseguiram empregos bons só por causa da prática vivenciada durante a Faculdade.

Portanto, antes de se desesperar, pense bem no que você deseja para a sua vida e vá em frente. Livre-se do preconceito e faça a Faculdade que você quiser e puder. Não adianta ficar anos estudando para entrar em uma Universidade e se frustrar. Pense bastante antes de escolher e siga sua vida com sabedoria!

Beijos,

Carol Estrella

Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por