30 novembro 2015

Livro, eu te amo!



  
 Como alguém pode não gostar de ler? Começo este texto com esta pergunta que me faço todo os dias quando abro o livro da semana e me deleito com suas palavras. Eu cresci em uma família de leitores e tenho muito orgulho de dizer que fui incentivada por todos. Meus pais me davam livros, a minha escola tinha professores maravilhosos que liam para mim desde o maternal e eu passei a devorar as palavras quando descobri que podia entrar na história e viver as emoções dos personagens. Senti isso pela primeira vez quando viajei para Hogwarts e lutei junto com Harry, Rony e Hermione durante 7 livros. Somos amigos inseparáveis até hoje, mas desde então fiz novas amizades e sou apaixonada por uma infinidade de personagens.


Eu amo ler e isso está estampado na minha cara, na minha vida e no meu comportamento. Carrego livros na minha bolsa, minha sala é lotada de livros e meu quarto, então, nem se fala. Acredito que todo ser humano pode amar a leitura assim como eu, porém é difícil gostar de algo que lhe é imposto na escola, gostar de algo que é considerado banal por várias pessoas e algo que vários dos nossos governantes fazem questão de depreciar. 

Quando cortam a verba da educação e desistem de manter bibliotecas, estão desestimulando a leitura e a criação de conhecimento. Se fossémos educados pela escola e pelos nossos pais a ir na biblioteca ler livros durante as férias ou no intervalo de uma aula ou outra, aposto que a situação do Brasil seria diferente. Primeiro que teríamos pessoas mais instruídas e sonhadoras e esperançosas. Pessoas com menos ódio e mais amor. É complicado incentivar a leitura quando muitos professores não gostam de ler e passam provas sobre livros sendo que só leram o resumo. Como você vai dar o exemplo se você faz errado?

Ontem vi uma reportagem de um carteiro que salvou a vida de um menor que o roubou no Rio de Janeiro. Achei nobre a sua ação e torço para que o jovem realmente mude, mas uma coisa muito séria me chamou a atenção. Ele falou na reportagem que o levaria o jovem para conhecer o esporte e a música. Duas coisas que acho importantíssimas na vida de todo ser humano, mas e a literatura? E o estudo? Claro que precisamos nos exercitar e nos deliciar com boas músicas, mas ler um livro também não seria um ótimo caminho ajudar esse menino a criar sabedoria? Fico bem triste em ver que muitas ONGs e projetos culturais investem em música, esporte e se esquecem da literatura. Por que não dar um livro a este menino antes de tudo? Por que não estimulá-lo e frequentar a biblioteca enquanto pratica música? Sei que o praticar esportes chama bem mais atenção dos jovens, mas isso só acontece porque a literatura não é valorizada. Ambas as coisas deveriam despertar a atenção dos jovens.

Sinto que esses projetos só focam em uma modalidade e excluem a outra. Um atleta pode ser vencedor e leitor! Um músico pode ser brilhante e leitor! Mas, o livro, na maioria das vezes é deixado de lado, afinal é mais fácil dar entretenimento ao povo do que ajudá-lo a pensar com sabedoria. Não é sábio deixar o povo pensar.

Beijos,

Leiam sempre!

Carol Estrella

Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por