26 outubro 2015

Abuso todo dia



#primeiroassédio #primeiroabuso #abusotododia

Oprimida. Presa em um emaranhado de sentimentos  quando dou uma volta na rua. Suja. Impura e  me arrisco até dizer puta.

É isso que vocês querem que a gente sinta? É isso que vocês esperam de uma mulher?
Vocês são santos em casa, mas na rua e principalmente na internet, destilam veneno e humilham as mulheres com comentários ofensivos e muito negativos. O  que você ganha com isso?
O pior é que estamos criando pessoas vazias, pessoas que não estudam, que não leem, que não estão interessados em educação. Pessoas que não sabem argumentar e saem por aí ofendendo os outros só porque está com raiva e não consegue se controlar sozinho. E na internet vimos isso o tempo todo. É só abrir os comentários do Globo.com...


Eu me sinto mal em andar na rua desde quando desenvolvi corpo. Os homens não me respeitavam quando eu tinha 11 anos e me respeitam menos ainda com 27. Os garotos na escola achavam que a minha bunda era passatempo e ficavam espalhados em um corredor me esperando passar para encostar a mão no meu bumbum. Eu me sentia péssima, mas com quem eu vou reclamar? Quem vai me entender?

Em todo o lugar que eu ia, eu sofria por conta do meu corpo desenvolvido. Cheguei a comer desenfreadamente para poder engordar e parar de ser ofendida por ter corpão. Hoje em dia nada mudou! Se eu coloco short, me devoram com os olhos, vestido largo, me devoram com os olhos, calça jeans é um inferno! Nem uso mais porque me devoram com vontade e eu fico com nojo. Me sinto suja e me pergunto todos os dias : Por que não posso ter bunda e peito? Por que eu não posso andar na rua livremente sem ser abordada por um cara? Por que aquele senhor passou a mão na minha bunda quando eu prestava atenção para atravessar a rua?

Sim, isso aconteceu comigo! Eu estava andando de VESTIDO COMPRIDO e o FDP passou a mão na minha bunda e se juntou a uma multidão de gente para eu não ver quem era, mas eu vi e fiquei sem reação. Um senhor que deve ter netas, filhas e esposa passou a mão em mim como um tarado maluco. Queria saber se fizessem isso com alguém que ele ama.

Eu não aguento mais esse machismo e eu confesso que tenho um pouco deste conceito dentro de mim, porque fui criada assim e só via essa possibilidade na minha frente. Até que cresci e pude ver o mundo com outros olhos. O meu pai me dava as roupas dele para eu esconder o meu corpo e não chamar atenção. Ele fazia isso para me proteger, mas estimulava ainda mais essa ideia de que não posso ser livre para usar o que quero. Eu me sentia diferente e excluída porque tinha corpo e tinha que me esconder com blusa masculina e calças muito largas.

Será que não tenho direito de usar short só porque tenho mais gordura na perna do que minha amiga?
Não, se você usar será chamada de puta.
Será que não tenho direito de andar na rua sem receber cantadas nojentas?
Não, você se vestiu como uma puta então merece ser ofendida.

Isso é tão triste, tão deprimente e estraga tanto a vida das mulheres. É o cúmulo eu sentir raiva do meu corpo porque não posso andar na rua nem mesmo com uma calça de ginástica para ir malhar na praia. Ah, quando eu ando assim não me deixam em paz!

Mas sabe o que eu faço? Ligo o FODA-SE e vou! Vocês não mandam no meu corpo e eu sei muito bem quem eu sou. Mas, às vezes bate um desespero e eu me sinto tão insegura na rua. Tenho medo de bandidos sim, mas o meu maior medo são dos tarados.

Tem vezes que eu torço muito para que os caras que me olham no trânsito batam o carro no poste! Olhaaaaa, já quase aconteceu uma vez e eu comemorei em silêncio. Claro, que eu não queria que ele se machucasse. Na verdade tudo o que eu mais quero é RESPEITO e LIBERDADE.

Se você se sente assim, ou já passou por isso compartilhe este texto e mostre para as suas amigas. Vamos nos unir contra esses machos que não tem um pingo de educação e amor na cabeça.
Se você quiser compartilhe suas ideias comigo nos comentários. Eu vou adorar ler todos os depoimentos e ajudar vocês da melhor forma possível!

E para terminar deixo um apelo:

As mulheres não são culpadas pelo estupro. Aliás, a vítima nunca é culpada. Parem de achar que só porque a garota estava usando short curto e bebeu demais, ela tem culpa de ser estuprada por alguém.

Beijos,


Nenhum comentário

Postar um comentário

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por