11 fevereiro 2014

A moda agora é ser escritor pop!




Quando eu era adolescente e via atrizes e cantores estourarem na mídia, eu achava que era super fácil conseguir fama e sucesso. Depois de um tempo comecei a acompanhar a vida de alguns artistas nas redes sociais e fiquei cansada só de ver o dia-a-dia agitado deles.

É foto para revistas, maquiagem o tempo todo, tem que sorrir para todo mundo, se não é chamado de antipático, tem que abraçar até aquela pessoa que torce contra e tem que viver o tempo inteiro se expondo para chamar atenção e conseguir mais trabalhos. A fama tem um preço alto e muitos cantores se envolvem com drogas para amenizar a solidão e a correria do cotidiano. Toda hora morre algum ator ou cantor especial nos Estados Unidos, isso sem falar naqueles que vivem na reabilitação.

Ammy Winne House era brilhante, mas não conseguiu aguentar a fama. Demmi Lovato foi para a clínica bem cedo e recentemente estamos vendo Justin Bieber surtar.

O sucesso mundial tem um lado bom e um lado ruim. Na questão literatura, estamos presenciando um movimento muito grande de escritores bons que estão tendo de lidar com a fama. Uns levam na boa e conseguem sobreviver, outros nem tanto e acabam se tornando egoístas e arrogantes.

O que mais me intriga é o fato de que há 20 anos o escritor era conhecido como o profissional melancólico que precisava da solidão para escrever seus livros. Hoje o escritor não faz nada sozinho. Ele precisa dos leitores, ele precisa aparecer e estar presente nas redes sociais o tempo inteiro para conseguir um espaço no mercado.

O escritor não pode mais ficar em casa esperando a fama cair a seus pés. Tem que batalhar na rua e nas redes sociais como qualquer outro profissional.

Muitas vezes acontece o que o autor Nicholas Sparks comentou na imagem abaixo. O livro que está bombando pode não ser o melhor romance do mundo, mas fez sucesso, o povo gostou e virou Best seller. Ao mesmo tempo em que livros com uma qualidade de escrita enorme é lido por poucos. Isso acontece em todos os setores da arte, principalmente, hoje, em que as redes sociais têm tanta influência na população. 





Um excelente exemplo que sempre uso foi à vitória do Sam Alves no The Voice Brasil. Eu acompanhei a evolução dele na internet e no momento em que o vi conversando com alguns fãs eu disse: “Esse cara vai ganhar!”

Por quê? Simples, ele investiu pesado no marketing no facebook, no twitter e no Instagram. Investiu tempo, dinheiro e contou com a divulgação do programa. Mas, isso todos tiveram, o que faltou para os outros candidatos foi planejamento e uma assessoria boa. A mesma coisa aconteceu com a cantora Anitta, com o escritor Eduardo Spohr, com a Carol Munhóz , com a Talita Rebouças e muitos outros escritores que sabem se relacionar bem na internet.

Saber se promover é a chave do sucesso para todo escritor. E na medida em que o escritor cresce a literatura nacional também. E os leitores só têm a ganhar com isso!


Por último, quero deixar claro que tem muitos autores que estão escrevendo mal e não prestam atenção no português ao postar no facebook. Se você quer ser escritor, tem que no mínimo ficar atento à esses detalhes que podem te queimar muito. 

Beijinhos,



3 comentários

  1. Genial!

    Dicas excelentes para todos novos autores, que estão iniciando no universo literário nacional,

    grato.

    ResponderExcluir
  2. Carol vc é uma querida mesmo, adorei seu texto. Além de bem escrito ele nos faz refletir e o principal é que ele demonstra uma mudança de comportamento dos escritores e tudo que envolve o sucesso do seu livro. Como vc disse hoje em dia nem sempre o livro que faz sucesso é o bom. Mas enfim no geral fico mega feliz com o crescimento de nacionais que estou tendo acesso!!!
    Bjos e sucesso com esse blog que acabou de nascer né!!!???

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Você também é uma querida :) Eu venho acompanhando esta mudança desde que comecei a escrever em 2010 e realmente se você estudar mais a fundo vai perceber que os escritores antigos eram introspectivos e os de hoje tem dê ser comunicativos senão não conseguem muita coisa. Beijihhos.

      Excluir

© AUTORA CAROL ESTRELLA- TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Design e Programação por